Idosos experimentam nova rotina e aprendizado dentro dos Serviços de Convivência do município


9 de agosto de 2018
Foto: Jhonney Macena

Chegar à terceira idade não precisa mais significar dias sem ter nada para se fazer ou falta de diversão. E isso se deve às diversas atividades e ações que são desenvolvidas voltadas para os idosos de Aparecida de Goiânia pelos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas). Essa mobilização, seja por meio de aulas de artesanato, crochê, música ou dança, promove mais qualidade de vida aos 600 idosos atendidos pelo programa.

Além de terem uma vida mais ativa e incluí-los socialmente, esses equipamentos trabalham a autoestima dessas pessoas. Atualmente, Aparecida conta com três unidades. “Diferentemente do que muita gente acha, é sim viável ter qualidade de vida na terceira idade. Essa fase não é um momento de solidão, tristeza ou de doenças. E mesmo com as mudanças no corpo é possível realizar ações que ajudam a conservar a saúde sair da rotina cotidiano e esse é o nosso foco”, comentou a secretária de Assistência Social, Mayara Mendanha.

Mayara ressalta que participar das atividades promovidas nos Serviços de Convivência é essencial para reduzir riscos de doenças como a depressão. “Já ouvimos relatos de pessoas que após os 60 anos passaram a desenvolver a ficar mais doentes e também a desenvolver depressão. E assim que passaram a realizar as atividades recreativas, conviver com outras pessoas da mesma idade e aprender novas coisas como o artesanato e também a dançar nos bailes de forró, tiveram uma melhora considerável”, salientou a secretária.

Entre as atividades realizadas nos Serviços de Conviviência estão Ginástica funcional com foco no equilíbrio e prevenção de quedas; hidroginástica para melhorar condicionamento físico e cardiovascular; artesanato para ativar a memória como tear, argila e biscuit; yoga para melhorar equilíbrio e respiração; aulas de música, teatro para estimular a socialização; e também atividades culturais como visitas a museus, parques e viagens com foco na inserção do idoso nos espaços públicos e privados.

“É importante ressaltar que entre os fatores que contribuem para melhorar a qualidade de vida dos idosos, são a convivência em grupo e exposição a novas aprendizagens que possibilitam maior consciência de suas potencialidades. Além disso, por meio da educação reflexiva, os idosos aprendem a se valorizar, estabelecem novos papéis e mudam a concepção de envelhecimento, que era conhecido apenas como fim da vida o que na realidade, não o é”, reiterou a secretária Mayara Mendanha.

São realizadas ainda reuniões onde os palestrantes abordam temas sobre “Vínculos Familiares e Comunitários”, “Direitos do Idoso”, “Qualidade de Vida e Processo de Envelhecimento”, entre outros assuntos. “Proporcionamos também à eles momentos de lazer, despertamos o sentimento de serem úteis, maior expectativa de vida, felicidade e satisfação, capacidade física e psicológica. Tudo isso para que envelheçam com qualidade de vida, não se isolem socialmente, inspirem-se em quem vive bem e busque novas formas de aproveitar a vida”, explicou o superintendente de Proteção Social Básica, Anésio Lazari Dantas.

Desde que o espaço começou a fazer parte da rotina da Vera Lucia Fernandes Dutra, 62, muita coisa mudou na vida da diarista. “Eu me sinto bem acolhida, minha vida mudou muito tanto no físico quanto na mente. Sofria muito com a solidão, em não ter contato com as pessoas. Porque eu gosto muito de conversar, brincar e interagir, sou bastante extrovertida, e participar das atividades me permitiu fazer amizades, a gente se diverte, compartilhamos nosso dia-a-dia uma com os outros, estou muito feliz”, conta.

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Terceira Idade é para idosos com idade igual ou superior a 60 anos que se encontram em situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social. As unidades estão situadas na Rua Anápolis esquina com a Rua São Paulo, no setor Jardim Florença; Rua Minuanos esquina com Rua Solimões, no setor Vila Brasília; e Centro de Cultura e Lazer José Barroso, no setor Village Garavelo. Para se inscrever, o idoso deve procurar a unidade de Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próxima da sua casa.

Fonte: Rackel Vieira

Mais Notícias