Saúde de Aparecida de Goiânia capacita enfermeiros e gestores da Atenção Básica sobre o coronavírus


16 de março de 2020
Foto: Polliana Martins

A Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia (SMS) capacitou sobre o coronavírus, na tarde desta segunda-feira, 16 de março, mais profissionais da Atenção Básica. O encontro, realizado no auditório do Instituto de Previdência de Aparecida de Goiânia (AparecidaPrev), no Setor Célia Maria, faz parte da série de iniciativas planejadas para preparar todas as equipes da pasta e reuniu gestores e enfermeiros da Estratégia Saúde da Família (ESF) e dos ambulatórios.   

No evento foi distribuído material com perguntas e respostas sobre o coronavírus e orientações sobre o fluxo adequado de atendimento para os casos suspeitos no município. A médica Thaís Alarcon Duarte Braga, credenciada na SMS e que atua também no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Goiânia, foi a palestrante e tirou dúvidas dos profissionais.

O coordenador médico da Atenção Básica, Murillo Moraes Castro, ressalta que as capacitações são fundamentais para orientar os profissionais, tirar dúvidas e atualizar informações importantes. “Nosso pessoal, principalmente aqueles que têm contato direto com os usuários, precisam estar sempre preparados para atender bem as pessoas e prestar esclarecimentos à população. As pessoas devem ser tranquilizadas e orientadas sobre os procedimentos básicos, tais como proteger a boca com lenços descartáveis e com o braço ao espirrar e tossir, sobre proteger a saúde dos idosos e portadores de doenças como hipertensão e diabetes, sobre manterem-se hidratadas e higienizar as mãos com frequência, bem como evitar abraços e apertos de mão ao cumprimentar. Para além disso, os profissionais precisam conhecer os fluxos, os informes técnicos e todos os procedimentos para tratar os casos suspeitos”, destaca ele.    

Ir às UBSs ou às UPAS?

Murilo também informa que “se alguma pessoa que apresente sintomas de gripe tenha estado num lugar onde haja casos de coronavírus ou teve contato com um indivíduo contaminado ou com casos suspeitos, ou se estiver com um agravamento de quadro gripal com dificuldade para respirar, deve procurar uma unidade de saúde, de preferência uma UBS, que é nossa porta de entrada para o sistema. A partir daí, poderemos fazer todo o caminho do fluxo correto, que é a identificação, o isolamento viral e a identificação dos contactantes para que possamos tomar as medidas preventivas necessárias. É melhor ir a uma UBS do que a unidades de urgência, como as Upas e os Cais, porque estas concentram maior quantidade de pessoas e a circulação viral é maior. ”

Texto: Polliana Martins

Mais Notícias