Seminário discute políticas de saúde mental e desafios de enfrentamento às drogas


13 de setembro de 2017
Foto: Wigor Vieira - SMS

A Secretaria Municipal de Saúde realizou na manhã desta quarta-feira (13), o 6° Seminário Rede Intersetorial enquanto Dispositivo de Cuidados. O objetivo é discutir políticas públicas de saúde mental e enfrentamento ao crack e outras drogas. O evento aconteceu no auditório da Associação Comercial e Industrial de Aparecida (Aciag) e faz parte do evento esportivo e social “Aparecida Correndo Pela Vida – Contra o Crack”, corrida tradicionalmente promovida pela Prefeitura de Aparecida todos os anos.

O encontro foi oficialmente aberto pela palestrante Paula Cândida Dias, que falou em nome da coordenadora de Saúde Mental do município, Carolina Sartori. “Por meio da rede de saúde mental que construímos aqui em Aparecida é que nós temos, hoje, a oportunidade desse diálogo elevado sobre drogas, com pessoas que acreditam e investem no sujeito e sabem que a substância é o nosso menor problema”, ressaltou Paula Cândida, que é mestre em Saúde Pública e professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.

O encontro também contou com palestras do Promotor de Justiça, Haroldo Caetano e o psicólogo especialista Décio Castro Alves. Foram abordadas questões sociais, judiciais e também de prevenção e tratamento às drogas. “Discutir saúde mental é fundamental e necessário. É a política mais urgente no nosso país e tem ficado em segundo plano. O seminário é um espaço muito importante para Aparecida e todo Estado para que todas possam participar dessa discussão”, pontuou o Haroldo Caetano.

Aparecida de Goiânia faz parte do Projeto Redes, da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça (SENAD/MJ). O programa prevê estratégias de combate e prevenção de Álcool e Drogas, além de participar da criação de políticas públicas voltadas para o enfrentamento do crack. Décio Alves que além de psicólogo é interlocutor do Projeto Redes destacou a importância de políticas com foco no indivíduo.

“Precisamos olhar mais para as pessoas e menos para a substância. É muito mais uma questão de existência do indivíduo, por isso é um desafio tratar pessoas em liberdade e negociar cuidado e proteção com o sujeito, por meio da rede de saúde mental que Aparecida oferece”, salientou Décio Alves.

O Superintendente de Administração, Planejamento e Finanças da Secretaria Municipal de Saúde, José Nelis, representou o secretário de Saúde Edgar Tollini. A Superintendente de Proteção Social e Especial, Vânia França, representou a primeira-dama e secretária de Assistência Social Mayara Mendanha. Também participaram do seminário Rosane Castilho, psicóloga da Universidade Estadual de Goiás, Conselhos Tutelares, profissionais da rede de saúde mental, pacientes e familiares.

Projeto Redes

Aparecida foi o primeiro município goiano a aderir ao projeto Redes da SENAD/MJ. “A cidade tem se destacado por cumprir as diretrizes do plano Crack é Possível Vencer, que inclui o funcionamento pleno dos CAPS 24 horas, Consultório na Rua e articulação com as redes de atenção básica à saúde e urgência e emergência”, explica a coordenadora de Saúde Mental, Carolina Sartori.

O programa “Crack, é Possível Vencer” é uma iniciativa do governo federal e desenvolvida no município, e relaciona três grandes eixos: prevenção, cuidado e autoridade. O objetivo é promover ação integrada entre a União, Estados e Municípios para o enfrentamento das drogas, ações de prevenção, aumento da oferta de serviços de tratamento e atenção aos usuários e seus familiares.

Correndo pela Vida contra o Crack

Este ano, a corrida contra o crack será realizada no dia 23 de setembro, a partir das 17h com maratoninha para as crianças e maratona infanto-juvenil e às 18h para os adultos. O percurso da prova adulta terá 5km e 10km, com saída e chegada em frente ao Aparecida Shopping, que é parceiro da ação. As inscrições podem ser feitas no site www.correndopelavida.net ou presencialmente no stand montado dentro do Aparecida Shopping. Para se inscrever é preciso apresentar documentos pessoais e doar 2 kg de alimentos não perecíveis.

 

Fonte: Ana Clara Dias - SMS

Mais Notícias