SMS realiza capacitação na área dos Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho


12 de agosto de 2019
Foto: Arquivo



A Superintendência de Vigilância em Saúde de Aparecida deu início na última semana, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a uma agenda de cursos de capitação voltados à área da Saúde do Trabalhador. O curso “Capacitação em Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas para Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho” tem o objetivo de sensibilizar e capacitar os profissionais que atuam na área da Saúde Mental sobre as novas tratativas de identificação, notificação e de tratamento dos Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho (TMRT). A primeira capacitação aconteceu na última quarta-feira (7) no Centro de Atenção Psicossocial Bem-Me-Quer (Caps) e contou com a participação de trabalhadores que atuam na unidade. A próxima acontecerá no Caps Álcool e Drogas Criarte Vida (14/08) e no Núcleo de Cuidados Mentais (28/08), das 8h30 às 11h30.

As capacitações realizadas em Aparecida são as primeiras do Estado de Goiás destinadas a abordar as Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas para Transtornos Mentais relacionados ao Trabalho (DDT-TMRT). Elas foram desenvolvidas pelas psicólogas Elise Alves dos Santos e Ana Flávia Coutinho, do Núcleo de Psicologia do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Estado de Goiás. Agora, as psicólogas estão ministrando as capacitações junto aos profissionais de saúde mental.

“O município de Aparecida tem realizado um trabalho considerado de referência nacional na área da Saúde Mental, com todas as modalidades os CAPS e todas as ações relacionadas ao tema. Inclusive em diversas situações o próprio Ministério da Saúde utiliza o trabalho realizado por nossas equipes como caso de sucesso na área. O que estamos fazendo é valorizar ainda mais este trabalho. Este tipo de capacitação é mais uma demonstração da seriedade e do compromisso da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e de seus profissionais” – pontua o prefeito Gustavo Mendanha.

Uma pesquisa realizada em 2018 pelo grupo que esteve à frente da elaboração das DDT-TMRT (publicadas no Diário Oficial do Estado de Goiás na Portaria nº 1128 de 2018), utilizando a base de dados Históricos da Previdência Social, avaliou que entre 2012 e 2016 os transtornos mentais e comportamentais foram a quinta causa de registros de acidentes de trabalho no país (93794 registros). Foram também a quarta causa na concessão de benefícios do tipo auxílio doença (975873 registros) e a terceira causa na concessão de benefícios do tipo auxílio-doença acidentário (55366 registros). Isso mostra que os transtornos neuróticos, os transtornos relacionados com o estresse e os transtornos somatoformes integram o grupo de transtornos mentais mais prevalentes no registro de acidentes, inclusive em Goiás.

“Os TMRT são uma questão de saúde pública, em conjunto com os demais agravos e doenças relacionados ao trabalho. Por isso, como parte do Programa de Saúde do Trabalhador, estamos ratificando essas diretrizes da SES para balizar o trabalho de Vigilância a respeito desse tipo de transtorno mental que tanto cresce em todo o país” – esclarece a superintendente de Vigilância em Saúde do município, Vânia Cristina Rodrigues Oliveira Camargo.

Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Luzia dos Santos Oliveira, a vigilância e o monitoramento desse agravo permitem vislumbrar a magnitude dessa importante questão que envolve os trabalhadores em geral. “Essas diretrizes terapêuticas irão delinear todos os aspectos relativos às possíveis intervenções e às formas de acompanhamento contínuo da vida no trabalho de cada trabalhador” – completa.

Para Ana Mari Soares Dickmann, responsável pela chefia do Programa Saúde do Trabalhador, a promoção da saúde do trabalhador é um processo que resulta do esforço conjunto de empregadores, trabalhadores e sociedade em geral, para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas no trabalho. “Isso tem sido realizado por meio dessas ações, que visam melhorar a organização do ambiente de trabalho, permitindo escolhas saudáveis e encorajando o desenvolvimento pessoal”, afirmou.



A Superintendência de Vigilância em Saúde do município deu início na última semana a uma agenda de cursos de capitação voltados à área da Saúde do Trabalhador. O curso “Capacitação em Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas para Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho” tem o objetivo de sensibilizar e capacitar os profissionais que atuam na área da Saúde Mental sobre as novas tratativas de identificação, notificação e de tratamento dos Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho (TMRT). A primeira capacitação aconteceu na última quarta-feira (7) no Centro de Atenção Psicossocial Bem-Me-Quer (CAPS) e contou com a participação de todos os trabalhadores que atuam na unidade. As próximas acontecerão no Núcleo de Cuidados Em Saúde Mental (14/08) e no Caps Álcool e Drogas Criarte Vida (28/08), das 8h30 às 11h30.

“O município de Aparecida tem realizado um trabalho considerado de referência nacional na área da Saúde Mental, com todas as modalidades dos CAPS e todas as ações relacionadas ao tema. Inclusive em diversas situações o próprio Ministério da Saúde utiliza o trabalho realizado por nossas equipes como caso de sucesso na área. O que estamos fazendo é valorizar ainda mais este trabalho. Este tipo de capacitação é mais uma demonstração da seriedade e do compromisso da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e de seus profissionais com a qualidade de vida dos nossos trabalhadores, dos nossos cidadãos” – pontua o prefeito Gustavo Mendanha.

Uma pesquisa realizada pela Vigilância Epidemiológica, utilizando a base de dados Históricos da Previdência Social, avaliou que entre 2012 e 2016 os transtornos mentais e comportamentais foram à quinta causa de registros de acidentes de trabalho no país (93794 registros). Foram também a quarta causa na concessão de benefícios do tipo auxílio doença (975873 registros) e a terceira causa na concessão de benefícios do tipo auxílio-doença acidentário (55366 registros). Isso mostra que os transtornos neuróticos, os transtornos relacionados com o “stress” e os transtornos somatoformes integram o grupo de transtornos mentais mais prevalentes no registro de acidentes e essa realidade também se passa em Goiás.

“Os TMRT são uma questão de saúde pública, em conjunto com os demais agravos e doenças relacionados ao trabalho. Por isso, como parte do como parte do Programa de Saúde do Trabalhador, estamos estabelecendo todas essas diretrizes para balizar todo o trabalho de Vigilância a respeito desse tipo de transtorno mental que tanto crescem em todo o país” – esclarece a superintendente de Vigilância em Saúde do município, Vânia Cristina Rodrigues Oliveira Camargo.

Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Luzia dos Santos Oliveira, a vigilância e o monitoramento desse agravo permitem vislumbrar a magnitude dessa importante questão que envolve os trabalhadores em geral. “Essas diretrizes terapêuticas irão delinear todos os aspectos relativos às possíveis intervenções e às formas de acompanhamento contínuo da vida no trabalho de cada trabalhador” – completa.

Ana Mari Soares Dickmann, responsável pela chefia do Programa Saúde do Trabalhador, explica que a capacitação acontece em parceria com o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Estado de Goiás (Cerest/GO). “A promoção da saúde do trabalhador é um processo que resulta do esforço conjunto de empregadores, trabalhadores e sociedade em geral, para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas no trabalho. Isso tem sido realizado por meio dessas ações, que visam melhorar a organização do ambiente de trabalho, permitindo escolhas saudáveis e encorajando o desenvolvimento pessoal”.

Fonte: Frederico Noleto

Mais Notícias