Trabalhadores do Caps AD Criarte Vida participam de capacitação na área dos transtornos mentais relacionados ao trabalho


14 de agosto de 2019
Foto: Ênio Medeiros

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promoveu na manhã desta quarta-feira (14) a segunda edição do curso “Capacitação em Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas para Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho (DDT-TMRT)”. Desta vez o evento foi destinado aos trabalhadores do Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (Caps AD Criarte Vida). A iniciativa é da Superintendência de Vigilância em Saúde de Aparecida em parceria com o Núcleo de Psicologia do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Estado de Goiás (Cerest/GO). A idéia é atualizar os profissionais que atuam na área da Saúde Mental sobre as novas tratativas de identificação, notificação e de tratamento dos Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho (TMRT). As capacitações realizadas em Aparecida são as primeiras do Estado de Goiás destinadas a abordar essas diretrizes e foram desenvolvidas pelas psicólogas Elise Alves dos Santos e Ana Flávia Coutinho, do Núcleo de Psicologia do Cerest/GO.

“O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) hoje nos dá dados muito superficiais porque praticamente não há notificações. Na verdade há uma subnotificação. Desde 2009 foram apenas 54 notificações referentes à saúde mental relacionadas ao trabalho. Isso não faz nenhum sentido porque quando pesquisamos o Banco de Dados do Ministério da Assistência Social ou quando vamos a qualquer agência do INSS o que se vê é a enorme quantidade de afastamento em decorrência dos transtornos mentais relacionados ao trabalho. Está no topo dos diagnósticos. Então essa falta de notificação acaba não permitindo que o poder público atue de forma mais eficaz com relação este tipo de agravo” – pontua Elise Alves dos Santos. A primeira capacitação aconteceu no último dia 07, no Centro de Atenção Psicossocial Bem-Me-Quer (Caps) e contou com a participação de cerca de 15 trabalhadores que atuam na unidade. A próxima acontecerá no próximo dia 28, no Núcleo de Cuidados Mentais, das 8h30 às 11h30.

“Os TMRT são uma questão de saúde pública, em conjunto com os demais agravos e doenças relacionados ao trabalho. Por isso, como parte do Programa de Saúde do Trabalhador, estamos ratificando essas diretrizes da SES para balizar o trabalho de Vigilância a respeito desse tipo de transtorno mental que tanto cresce em todo o país” – esclarece a superintendente de Vigilância em Saúde do município, Vânia Cristina Rodrigues Oliveira Camargo. “Nunca é demais lembrar que Aparecida tem realizado um trabalho considerado referência na área da Saúde Mental. O próprio Ministério da Saúde utiliza nosso trabalho como caso de sucesso” – conta a coordenadora de Saúde Mental da SMS, Carolina Sartori. Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Luzia dos Santos Oliveira, a vigilância e o monitoramento desse agravo permitem vislumbrar a magnitude dessa importante questão que envolve os trabalhadores em geral. “Essas diretrizes terapêuticas irão delinear todos os aspectos relativos às possíveis intervenções e às formas de acompanhamento contínuo da vida no trabalho de cada trabalhador” – completa.

Dados
Uma pesquisa realizada em 2018 pelo grupo que esteve à frente da elaboração das DDT-TMRT (publicadas no Diário Oficial do Estado de Goiás na Portaria nº 1128 de 2018), utilizando a base de dados Históricos da Previdência Social, avaliou que entre 2012 e 2016 os transtornos mentais e comportamentais foram a quinta causa de registros de acidentes de trabalho no país (93794 registros). Foram também a quarta causa na concessão de benefícios do tipo auxílio doença (975873 registros) e a terceira causa na concessão de benefícios do tipo auxílio-doença acidentário (55366 registros). Isso mostra que os transtornos neuróticos, os transtornos relacionados com o estresse e os transtornos somatoformes integram o grupo de transtornos mentais mais prevalentes no registro de acidentes, inclusive em Goiás.

O foco do trabalho desenvolvido pelas pelas psicólogas do Núcleo de Psicologia do Cerest/GO é o de promover a supervisão técnico-pedagógica e clínica assistencial do trabalho realizado pelos trabalhadores com os pacientes. Para Ana Mari Soares Dickmann, responsável pelo Programa Saúde do Trabalhador no município, a promoção da saúde do trabalhador é um processo que resulta do esforço conjunto de empregadores, trabalhadores e sociedade em geral, para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas no trabalho. “Isso tem sido realizado por meio dessas ações, que visam melhorar a organização do ambiente de trabalho, permitindo escolhas saudáveis e encorajando o desenvolvimento pessoal” – afirmou Elise.

Fonte: Frederico Noleto

Mais Notícias